À entrada da “Pâtisserie à la Carte”, em Paris, sentimos instantaneamente o aroma ímpar de um leve e estaladiço croissant de manteiga, acabadinho de preparar, o chamamento de um pecado ao qual não conseguimos resistir.

Quem prova um croissant em França sabe que esta é uma experiência transformadora, já que depois de degustar esta iguaria no país onde surgiu é impossível ter o mesmo prazer com o croissant da pastelaria do nosso bairro. Pode parecer algo snobe mas a verdade é que o croissant francês é único.

A "Pâtisserie à la Carte" é uma pastelaria tipicamente francesa que ensina a preparar a massa do croissant francês. Para levar de uma viagem à cidade parisiense uma recordação mais doce, a sua visita é obrigatória. Propriedade da mesma família há décadas, esta pastelaria é o tesouro de duas irmãs, Séverine e Julie, cujas recordações de infância se dividem entre baguettes acabadas de fazer ao pequeno-almoço e pães de chocolate ao lanche. Filhas de pasteleiros, não hesitaram em dar continuidade ao negócio que os pais criaram com todo o carinho e dedicação com que se prepara a massa mais fofa de uma baguette.

 
 
 
 

É no típico bairro de Rochechouart que mora o negócio do coração destas duas irmãs, que descobrimos enquanto cruzamos os recantos de Paris, onde avistamos a belíssima basílica de Sacré Coeur, em Montmatre. Este é um bairro conhecido por pastelarias e restaurantes onde primam as ementas e iguarias francesas. É afinal nestas ruas, numa das zonas mais ricas em termos culturais e artísticos de Paris, que se se esconde o segredo da confecção do croissant, uma receita tão valiosa que nem todos os franceses dominam.

Pelos recantos de Paris
ao volante de um crossover

Foi ao volante do Opel Crossland X que encontrámos a “Pâtisserie à la Carte”, “ziguezagueando” entre os becos e ruelas onde viveram alguns dos mais famosos e reconhecidos escritores e pintores no século XX, reconhecidos amantes de Paris e do seu ambiente boémio. A ágil e assistida condução deste SUV faz toda a diferença enquanto dobramos esquinas e passamos ruas com tantas histórias por contar: a travagem de emergência inteligente evita colisões eminentes de quem não conhece a zona e se atravessa de repente com outros carros e peões, num local movimentado e concorrido por excelência.

 
 

 
 

Levados pelo irresistível aroma de pão acabadinho de preparar, deixamo-nos ficar pela pastelaria e decidimos ficar para um workshop de croissants. Quem não gostaria de dominar a receita do croissant e sentir-se um genuíno cozinheiro francês, nem que seja por um dia? A chef Séverine, uma das responsáveis pelas irresistíveis iguarias que adornam, belíssimas e tentadoras, a montra da “Pâtisserie à la Carte”, oferece um curso de três horas para um número máximo de oito participantes onde, num ambiente agradável e acolhedor – onde a promessa de gulodice e prazer são quase palpáveis no ar –, desvenda os pequenos truques que fazem com que a pastelaria francesa seja uma arte sem igual. Com a presença de um intérprete, no workshop, a chef demonstra que a confecção de um croissant é simples, mas que exige uma técnica precisa, para tornar um croissant fundente e estaladiço q.b., como se espera naquele país.

O passo a passo do croissant francês

Sejam amadores ou cozinheiros em ascensão, todos são bem-vindos neste curso, já que a preparação do croissant é explicada passo a passo e da forma mais acessível. Após uma demonstração da parte de Séverine, repetimos os gestos da cozinheira francesa, acompanhamos as cozeduras e somos responsáveis pelos toques finais. No final, sentimo-nos verdadeiros mestre no savoir-faire da massa folhada do croissant, e provamos o que preparámos – que, graças à supervisão de Séverine, está uma perdição –, com um delicioso café da pastelaria, sendo que também é possível optar por um chá. Em alternativa, também podemos levar para casa o que sobrar, prolongando assim um incomparável momento de prazer.

Além dos saborosos croissants, esta Pâtisserie ensina ainda a preparar outras iguarias tipicamente francesas como pãezinhos de chocolate, macarons, tarte de limão merengada, ganache, brioche Roi du Sud, creme de manteiga, chantilli e até a famosa tarte Tropézienne, original de Saint Tropez.

 
 
 
 

Quando saímos da pastelaria, ainda enlevados pelos sabores de uma tarde inesquecível, já entardeceu. Paris pinta-se agora nos tons românticos de uma noite iluminada de candeeiros antigos, aquela clássica imagem da “cidade das luzes”, tantas vezes representada por Monet. No caminho de volta a casa, com as iguarias da pastelaria francesa repousando no lugar do passageiro do Opel Crossland X, contemplamos em todo o seu esplendor as magníficas luzes de Paris. Este SUV oferece-nos mais 30% de luminosidade com LED que as lâmpadas tradicionais em halogéneo, assegurando uma visibilidade ótima sobretudo em condições mais limitadas como a condução noturna. Ao volante do Opel Crossland X, a torre Eiffel e a vida da vibrante cidade de Paris até nos parece mais brilhante...

 

Send this to friend