Tente adivinhar onde fica situada a Estrada Romântica. Apostamos que pensou em França, ou numa strada a tornanti que atravessa a Pianura Padana.

Até podia muito bem ser, mas a verdade é que a Estrada Romântica começa e acaba na Alemanha. Mais precisamente, são os cerca de 400 quilómetros entre Würzburg e Füssen (e a utilização do trema não se fica por aqui). E há realmente muito encanto e potencial romântico neste roteiro que é normalmente feito de norte para sul, e que não tem época mais indicada para ser percorrido, especialmente se estiver ao volante de um crossover que não tem medo de obstáculos.

O ponto de partida para esta viagem através de paisagens de grande beleza natural e herança histórica situa-se a cerca de uma hora da primeira fábrica da Opel, em Rüsselsheim, razão suficiente para que o veículo de eleição para percorrer a Estrada Romântica seja da autoria da – também ela histórica – marca germânica. E por muito espaço que o Crossland X ofereça, desta vez os lugares de passageiros vão vazios, à exceção daquele que vai ser ocupado pela sua cara metade.

 
 
 
 

A Estrada é composta, ainda que não oficialmente, por 16 paragens, em pequenas vilas que primam, na sua maioria, por um estilo medieval que lhes empresta um enorme encanto. E, muito embora 400 quilómetros passem num ápice ao volante do Crossland X, todas estas paragens valem bem a pena, cada uma por razões próprias.

Pelos caminhos da bucólica Lauda

Pouco tempo depois de se fazer à estrada, por exemplo, existe uma região que se destaca, Lauda, com o ar bucólico que as suas vinhas lhe garantem há mais de mil anos. Sim, a Alemanha pode ser mais conhecida pelos hectolitros de cerveja consumidos no Oktoberfest, mas a cultura vitivinícola também tem raízes fortes e um apelo único, graças à beleza das colinas, às garrafas típicas da região e até ao próprio dialeto falado nesta região de vinhos apelidada de “belo vale do Tauber”. Tendo em conta que esta é uma viagem por estrada, talvez não seja má ideia procurar no sistema de navegação do Crossland X um hotel para passar a noite e poder provar os vinhos de Lauda sem restrições.

 
 

 
 

Mais à frente na Estrada Romântica vai encontrar três aldeias “irmãs”, as últimas que resistiram desde a época medieval e que ainda hoje estão contidas na sua totalidade por uma muralha. Rothenburg e Dinkelsbühl são encantadoras, mas se tiver de optar por apenas uma das três, passe por Nördlingen.

Não só é menos movimentada como o facto de ter sido construida numa cratera de impacto de um meteorito lhe confere uma certa magia. Aliás, a própria torre da aldeia foi construída com material rochoso resultante desse impacto, pelo que a visita vale mesmo a pena, nem que seja para dizer que deu um beijo à pessoa especial da sua vida, enquanto pisava uma “estrela cadente” (porque tecnicamente, não estaria a mentir...).

Seguindo o caminho pela Romantische Straße, terá de resistir à tentação de deixar que o seu olhar se perca na paisagem. É nestas alturas que inovações como o Head Up Display nos auxiliam, permitindo manter o foco da nossa atenção na estrada, mesmo que no horizonte se vislumbrem os cumes dos Alpes e o sentimento de felicidade por termos alcançado um dos nossos destinos de sonho seja cada vez mais forte.

 

Send this to friend